Trituradores de resíduos alimentares: alternativa ecologicamente correta ou mito?

Quando se trata de fazer a sua parte pelo meio ambiente especificamente depois de uma refeição, a resposta pode estar bem na sua frente, mais precisamente na pia da cozinha.

Resíduos orgânicos respondem por mais da metade do lixo doméstico produzido no Brasil e milhares de toneladas de lixo orgânico são enviadas de caminhão para aterros sanitários todos os anos. Uma vez lá, ele se decompõe rapidamente e produz metano, um gás de efeito estufa prejudicial ao meio ambiente, e pelo menos 21 vezes mais potente do que o dióxido de carbono. Na verdade, os aterros sanitários são considerados a terceira maior fonte de metano.

Cerca de 85% das residências americanas e europeias possuem trituradores de alimentos, e cada vez mais lares brasileiros estão aderindo ao equipamento que, por não ser muito comum por aqui, ainda é cercado de mitos. Acompanhe alguns:

Mito: Trituradores domésticos usam muita água e eletricidade

A eletricidade usada para operar um triturador doméstico é mínima e ele usa cerca de 1% do consumo total de água de uma casa. Depois de triturar alimentos indesejáveis ​​ou estragados, os resíduos principalmente líquidos são transportados no esgoto para instalações de recuperação de recursos hídricos. As mais modernas são capazes de capturar o gás metano gerado durante o processamento de produtos residuais e convertê-lo em energia renovável na forma de calor e eletricidade. Esse processo é chamado de digestão anaeróbica e emite menos gases do efeito estufa do que a compostagem.

Mito: Certos itens de resíduos alimentares não podem ir para o triturador

A maioria dos alimentos pode sim ir para o triturador. Modelos de alto desempenho podem lidar com praticamente qualquer resíduo, incluindo ossos e materiais fibrosos como aipo. De toda forma, o uso adequado é a chave para reduzir o risco de entupimento. O ideal é abrir um jato moderado de água antes de ligar o triturador, depois acrescentar os restos de comida gradualmente e triturar até terminar antes de deixar a água correr por alguns segundos extras. Os proprietários devem ter cuidado também para não derramar gorduras, óleos e graxas no triturador, pois isso causa problemas no encanamento e nos esgotos.

Mito: Trituradores de alimentos são barulhentos

Os equipamentos mais modernos contêm isolamento do limitador de som e tecnologia antivibração que permite que eles operem com muito pouco ruído. Uma pia de boa qualidade também pode ajudar a eliminar o barulho das vibrações.

Mito: Você precisa de uma pia dupla para instalar um triturador de resíduos de alimentos

Um triturador de resíduos de alimentos pode ser instalado com uma pia de tigela única ou uma pia de tigela dupla, esta é apenas uma preferência pessoal.

Mito: Trituradores contêm lâminas como um liquidificador

Os resíduos alimentares são triturados em partículas minúsculas por um anel de trituração interno, sem lâminas nem navalhas.

Embora sejam considerados um alto investimento – os modelos mais modernos podem custar até três mil reais, os trituradores de resíduos alimentares possuem muita durabilidade (quando bem cuidados e usados de forma adequada, podem ficar de 10 a 20 anos sem precisar de manutenção). Para indústrias, restaurantes, hotéis e refeitórios, o custo x benefício é ainda maior. Além da redução drástica da quantidade de resíduos que vai para os aterros sanitários, trazem vantagens extras: menos consumo de lixeiras e sacos plásticos, menos insetos são atraídos por odores dos alimentos e ambiente limpo por mais tempo.

Compartilhe:

Entre em Contato com a Fragmaq

Quer conhecer nossos equipamentos e serviços ou compartilhar alguma dica sobre sustentabilidade? Preencha o formulário e envie sua solicitação. Nossa equipe está à disposição para ouvi-lo.