Bijuterias ganham diversas funções com a reciclagem

Aquela bijuteria esquecida no porta – joias, os brincos que já não são mais par porque um se perdeu ou os itens que quebraram e o destino seria o lixo podem ganhar outras formas de uso, por meio do reaproveitamento.

Antoine Laurent de Lavoisier, francês considerado o pai da Química, já dizia: “Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”. E assim são as bijuterias.
Geralmente, elas são feitas de materiais como o latão e o ferro. Se a bijuteria estiver desgastada e for feita predominantemente de materiais metálicos, é possível encaminhá-las para postos de reciclagem de metal. Já descartá-las indevidamente é uma opção nociva. Entenda por quê e como transformá-las em variadas utilidades.

Riscos à saúde e ao meio ambiente

Em 2015, pesquisa do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) feita no País revelou a concentração de metais pesados como chumbo e cádmio em até 60 vezes acima dos níveis permitidos na Europa e nos Estados Unidos. Naquela época, não havia regulamentação sobre a questão.
A maior parte desses produtos vêm da Ásia e os metais pesados são usados para baratear os custos.

Como agem esses metais

Em geral, a bijuteria é revestida com um banho metálico que protege a migração dos metais para o organismo, mas quando esse banho não é de boa qualidade — o que acontece nessas joias mais baratas —, ele se decompõe facilmente com a acidez do suor e faz com que o cádmio ou o chumbo migrem para o organismo humano. Isso tem efeito acumulativo, podendo provocar doenças renais, no sistema nervoso central e doenças hepáticas.
No meio ambiente, quando o metal pesado é descartado em aterros, pode contaminar o solo e as águas subterrâneas.
Diante disso, em 2016, o Inmetro estabeleceu que, no mercado nacional, bijuterias e joias não poderão ter concentrações de cádmio e chumbo iguais ou superiores respectivamente, em peso, a 0,01% e 0,03%, do metal presente no produto individualmente considerado.
Você verá, porém, que não será preciso descartar suas bijuterias que estejam sem uso ou quebradas, com a variedade de coisas que podem ser feitas com elas. Olha só:

Marcador de livro

Faça um marcador de tecido e, na pontinha que fica para fora do livro para marcar a página, coloque um brinco ou um pingente pendurado.

Imã de geladeira

Na parte traseira do pingente ou do brinco, cole um imã e utilize para fixar na geladeira ou no quadro de recados aquele lembrete que não te deixará esquecer nenhum compromisso.

Personalizar o porta – retrato

Para dar mais sofisticação à esse item, você pode usar brincos, pingentes, pulseiras e colares. Esses últimos, você utiliza para o contorno e os outros acessórios acrescente-os ao redor. Ficará charmoso em qualquer local da casa e poderá também ser um presente bem original. Se for esse o caso, a bijuteria pode aparecer mais uma vez: Ao concluir o embrulho, depois de dar o laço na fita, cole no centro um brinco, pingente, broche ou pedaço de colar.

Mais beleza às flores

O vaso de flores ficará ainda mais atrativo se você colar bijuterias sobre os caules de plástico de flores artificiais.

Glamour no visual

O cinto que dá um toque especial ao visual pode ter a fivela enfeitada pelas bijuterias.

Buquê diferenciado

Vai casar e quer sair um pouco do tradicional? O buquê de flores pode ser feito a partir de brincos, broches e pingentes quebrados. O resultado ficará lindo e sofisticado.
Com a reutilização desses acessórios, você mantém o charme das peças e, ainda, os tornam sustentáveis.

Compartilhe:

Entre em Contato com a Fragmaq

Quer conhecer nossos equipamentos e serviços ou compartilhar alguma dica sobre sustentabilidade? Preencha o formulário e envie sua solicitação. Nossa equipe está à disposição para ouvi-lo.