Alunos transformam chicletes em rodas de skate

A goma de mascar, popularmente conhecida como chiclete, é feita de borrachas sintéticas que podem levar 50 anos para se decompor, tornando-se um problema de longo prazo. Pensando em encontrar uma solução para este resíduo, dois alunos da Escola de Design de Nantes, na França, desenvolveram um projeto para coletar esses chicletes mascados ​​e transformá-los em rodas para skate.

Hugo Maupetit e Vivian Fischer instalaram algumas placas em centros urbanos – próximos de pistas de skate – onde os pedestres podem grudar o seu chiclete mascado, ao invés de simplesmente jogá-lo no chão.

Quando as placas são preenchidas, elas são coletadas e toda a goma é retirada. Feito isso, o chiclete passa por um processo de tratamento com um agente estabilizador, sendo posteriormente aquecido e remodelado, ganhando a forma de rodas de skate. O processo permite ainda que corantes naturais sejam usados, ​​dando cores vibrantes às rodas de borracha.

Iniciativa sustentável

Os estudantes contaram que, ao verem centenas de pequenas manchas brancas espalhadas pelos paralelepípedos das ruas de Nantes, eles entenderam que trabalhar na recuperação da goma de mascar fazia sentido: “é um lixo planetário que atinge todas as cidades do mundo e custa milhares de euros por ano para municípios para a manutenção dos espaços urbanos”, disse Hugo Maupetit em entrevista para o blog da Escola de Design.

Embora a goma de mascar não seja o problema ambiental mais urgente, tudo faz parte de uma abordagem holística da sustentabilidade. Se desejamos um mundo mais sustentável, é preciso pensar em todos os aspectos da sustentabilidade ​​- incluindo a forma como lidamos com todos os tipos de resíduos.

A reciclagem de algo tão pequeno, mas que faz parte da maioria dos centros urbanos, como goma de mascar, contribui para encorajar as pessoas a pensarem sobre como elas descartam os seus resíduos de forma geral, trazendo esta reflexão de forma mais contundente para a sociedade.

De botas a capa para celulares

Uma outra iniciativa, realizada na Inglaterra, também vem trabalhando com a reciclagem de gomas de mascar desde 2009.

A Gumdrop foi criada para resolver o problema global de resíduos de goma de mascar e hoje é a primeira empresa no mundo a reciclar e processar goma de mascar em uma variedade de novos compostos que podem ser usados ​​na indústria de borracha e plástico, através de um processo chamado Gum-tec. Com este método, eles reciclam todos os tipos de goma de mascar transformando o resíduo em novos produtos, incluindo botas de borracha, capas para telefones celulares, papéis de carta e embalagens.

A Gumdrop afirma que atualmente custa cerca de 150 milhões de libras esterlinas por ano para remover o lixo de goma de mascar das ruas do Reino Unido. A empresa espera reduzir isso oferecendo às pessoas uma maneira melhor de se livrar do chiclete do que simplesmente jogá-lo no chão.

Compartilhe:

Entre em Contato com a Fragmaq

Quer conhecer nossos equipamentos e serviços ou compartilhar alguma dica sobre sustentabilidade? Preencha o formulário e envie sua solicitação. Nossa equipe está à disposição para ouvi-lo.