Conheça as principais vantagens na cultivação da aquicultura no Brasil

Também conhecida pelo nome “aquacultura”, a aquicultura é o estudo e cultivo de organismos cujo ciclo de vida em condições naturais se dá total ou parcialmente em meio aquático. Nesta técnica, o pescado é mantido em ambientes confinados e sob condições controladas.

A aquicultura pode cultivar diferentes espécies de peixes, crustáceos, moluscos, algas, répteis e anfíbios, além de qualquer outra forma de vida aquática.

iStock.com / iggunsband A aquicultura é o estudo e cultivo de organismos cujo ciclo de vida em condições naturais se dá total ou parcialmente em meio aquático.

Como funciona a aquicultura

A técnica da aquicultura é praticada pelo ser humano há milhares de anos, assegurando o cultivo de produtos com mais controle e regularidade. Ela pode ser dividida entre continental (produção em água doce) e marinha (na água salgada) — chamada de maricultura.

Dentro da atividade são realizadas as seguintes modalidades:

– Piscicultura – peixes;

– Malacocultura – moluscos;

– Carcinicultura – camarão e lagostas;

– Algicultura – algas;

– Ranicultura – rãs;

– Quelonicultura – tartarugas;

– Criação de jacarés.

Embora existam diferentes métodos de aquicultura, o mais comum é o que utiliza tanques com jaulas flutuantes para peixes. Trata-se de uma técnica muito aplicada em propriedades rurais dotadas de açudes ou represas. A aquicultura nesses lugares necessita de pouca mão de obra e complementa as demais atividades desenvolvidas no local, como a agricultura.

Vantagens da aquicultura

Uma das grandes vantagens da aquicultura é a preservação dos mares e a não destruição dos ecossistemas marítimos — que costumam ser prejudicados pela pesca exploratória, que pode causar a extinção de espécies.

Outras vantagens encontradas na aquicultura são:

– A produção é mais previsível, o que gera alimentos de qualidade e mais homogêneos;

– Em comparação à pesca, a prática apresenta oferta de produtos mais constante e regular;

– Os produtos são rastreados durante toda a cadeia;

– Os custos são reduzidos, garantindo alimento mais barato;

– É possível manter uma dieta equilibrada e adequada às espécies cultivadas, assegurando um desenvolvimento saudável sem alterar seu valor nutritivo;

– Maior oportunidade de emprego, além de desenvolvimento social e econômico em áreas rurais e costeiras.

Aquicultura no Brasil

Segundo o Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA), o Brasil possui um enorme potencial para a aquicultura, visto que o país conta com 12% da água doce disponível no planeta e um litoral de 7,4 mil quilômetros. O país também apresenta clima favorável, disponibilidade de mão de obra e crescente demanda do mercado interno. Todos esses fatores podem fazer do Brasil um dos maiores produtores mundiais de pescado.

Hoje as espécies de peixes mais cultivadas incluem tambaqui e pirarucu (especialmente na região Norte); tilápia e camarão (Nordeste); tilápia, truta e moluscos bivalves (Sudeste); tambaqui, surubim, pacu e pintado (Centro-Oeste); e carpas, tilápia e moluscos bivalves (Sul).

Para o MPA, se a atividade for realizada de forma ordenada e planejada, muitos impactos ambientais provenientes da pesca podem ser evitados. Um cultivo organizado também representa avanço rumo à meta do Ministério, que visa aumentar a produção das 470 mil toneladas atuais para dois milhões de toneladas até 2020.

Compartilhe:

Entre em Contato com a Fragmaq

Quer conhecer nossos equipamentos e serviços ou compartilhar alguma dica sobre sustentabilidade? Preencha o formulário e envie sua solicitação. Nossa equipe está à disposição para ouvi-lo.